fbpx

O 18º ranking anual da Corporate Knights mostra que até as empresas mais “dedicadas” e diligentes ao ESG precisam evoluir

Com início em 2005, o ranking GLOBAL 100 das empresas mais sustentáveis do mundo realizada pela Corporate Knights analisa cerca de 7000 corporações de capital aberto com receita anual de mais de US$ 1 bilhão por ano.

São analisadas questões de ESG, portanto critérios sociais, ambientais e de governança, baseados em dados públicos publicados por essas grandes companhias.

São utilizados 23 indicadores de desempenho, entre os quais gestão financeira, de pessoal e de recursos; receita obtida de produtos e de serviços com benefícios sociais e/ou ambientais; e desempenho da cadeia de fornecedores.

Cerca de 10% do ranking foi preenchido por bancos, mas o que dominou a lista foram os grupos de tecnologias incluindo telecomunicações, fabricantes de chips, fabricantes de computadores e provedores de serviços empresariais.

Veja lista clicando aqui

As questões hídricas e a economia circular também demonstrou estar em crescimento com a entrada de organizações que buscam soluções para o uso de recursos naturais como a água e outras que trabalham com a reciclagem de aço, automóveis, entre outros.

Neste ano a empresa que ocupou o primeiro lugar na lista foi a Vestas Wind Systems, uma empresa dinamarquesa que já foi líder global em venda de guindastes hidráulicos e, atualmente, é a maior fabricante de turbinas eólicas do mundo, sendo responsável por quase um quinto da capacidade instalada de energia eólica global.

A multinacional desde 2020 adotou a estratégia “Sustentabilidade em tudo que fazemos”, que se apoia em 4 pilares: redução de pegada de carbono, circularidade, pessoas e transição energética.

Possui metas como redução em 45% das emissões até 2030, estudos para reciclagem de pás de turbinas, aumentar a eficiência de materiais e reduzir o desperdício pela metade até 2030; além de produzir turbinas com zero resíduos até 2040 e se tornar neutra em carbono em suas operações até 2030, sem usar compensação de carbono.

A Corporate Knights destaca que as empresas da Global 100 estão investindo mais agressivamente em tecnologias e serviços limpos, com 48% de seus gastos de capital, P&D (pesquisa e desenvolvimento) e aquisições indo para investimentos limpos.

Além disso, 65% das empresas aderiram a iniciativa Science Based Targets, alinhando suas reduções de emissões com os requisitos do Acordo de Paris.

Além disso, questões sociais como trabalhistas e de diversidade também são tratadas através de auxilio-doença, metas para aumentar mulheres e diferentes grupos raciais em cargos de liderança, diferença do salário de executivos e trabalhadores, entre outros.

Entre em contato para saber como podemos ajudar a sua empresa evoluir o ESG

Falar com especialista em ESG

O BRASIL NA GLOBAL 100

A lista anunciada no âmbito do Fórum Econômico Mundial de Davos, destaca apenas 3 empresas brasileiras: Banco do Brasil (21ª posição), Engie Brasil Energia (23ª posição) e Natura (88ª posição).

O Banco do Brasil apesar de investir pesadamente em indústrias de carne bovina e madeireira intensivas em carbono, destacou-se como líder em finanças sustentáveis ao avaliar esses investimentos para práticas sustentáveis, obtendo boa pontuação em produtividade de energia, impostos pagos, receita limpa e proporção salarial.

Segundo a Corporate Knights a carteira de negócios do Banco do Brasil possui saldo superior a R$ 282 bilhões, a qual é submetida a avaliação independente e usa critérios internacionais para definir projetos e empreendimentos sustentáveis nos segmentos: energias renováveis; eficiência energética; construção, transporte e turismo sustentáveis; água; pesca; gestão de resíduos; saúde e desenvolvimento local e regional.

Em 23º lugar a Engie Brasil Energia, uma empresa privada que atua na geração, comercialização e transmissão de energia elétrica, transporte de gás natural e soluções energéticas, compromete-se em acelerar a transição para um mundo neutro em carbono, através do consumo reduzido de energia e soluções mais sustentáveis.

A empresa possui cerca de 97% de sua capacidade instalada proveniente de fontes renováveis e com baixas emissões de Gases de Efeito Estufa (GEE), como usinas hidrelétricas, eólicas, solares e a biomassa, além de ser a detentora da mais extensa malha de transporte de gás natural do país.

O RETORNO NO INVESTIMENTO E A NECESSIDADE DE EVOLUIR MAIS

Além da obrigação que as empresas e sociedade têm de manter um ambiente saudável para futuras gerações, de acordo com a análise da S&P Capital IQ, o índice Global 100 é o índice global de sustentabilidade com melhor desempenho desde sua criação.

Um dólar investido em um índice composto por empresas da Global 100 teria gerado um retorno de quase um quinto maior do que o mesmo investimento no MSCI, ou ACWI (retorno de 331% comparado a 279%).

No segundo ano de pandemia global destaca-se desigualdades sociais cada vez maiores além de grandes ondas de calor, inundações, secas prolongadas, incêndios florestais, dentre outros episódios ambientais em que a natureza nos sinaliza a urgência de tratarmos a crise climática, trazendo a importância de destacarmos as questões de ESG ainda mais nos negócios, governo e todas as esferas da sociedade.

A maioria das empresas trabalham com metas e programas a longo prazo.

Além disso, milhares de organizações assumiram compromissos líquidos zero, no entanto uma pequena porcentagem possui planos confiáveis e baseados na ciência para descarbonizar suas operações e cadeias de suprimentos.

É preciso entender que a ideia de que questões de sustentabilidade representam um dreno para os ganhos do negócio trata-se de uma percepção desatualizada e errônea, projetos a curto prazo devem ser adotados, com soluções eficazes e as corporações devem sair do dizer e partir para o fazer.

Somente as empresas que fazem das soluções sustentáveis uma parte essencial de suas ofertas de negocio e alocam investimentos significativos para reduzir suas pegadas de carbono farão uma diferença significativa e contribuirão para a descarbonização.

O ranking vem para mostrar que a sustentabilidade encontra-se em constante evolução e que, ate as empresas mais verdes e diligentes ainda precisam evoluir.

Fontes:

Scott, M. 2022. Wind giant sweeps into top spot of Global 100. 
Scott, M. 2022. Global 100 companies prove sustaintability is good for business. 
Corporate Knights Staff. 2022. The 100 most sustainable corporations of 2022. 

Entre em contato para saber como podemos ajudar a sua empresa evoluir o ESG

Falar com especialista em ESG